Alimente bem o seu cachorro

Minha tia tem uma cadelinha que é uma verdadeira devoradora. Ela está até meio gordinha, se comparada ao normal dos lhasa apsos. O bicho come de tudo – de cebola a chinelo! Outro dia até moeda ela estava botando para dentro!

Conversando com uma amiga veterinária, perguntei se é normal os animais comerem o que veem pela frente. Ela disse que são como bebês: gostam de colocar tudo na boca. É claro que não é normal comer chinelo nem moeda, né, mas será que é saudável dar sobras de comida do almoço ou do jantar?

Segundo ela, o ideal é que o bichano coma apenas ração, no máximo petiscos específicos para animais e sem exageros. Ou seja, nada de arroz e feijão para seu animalzinho.

Ela compartilhou comigo outro ponto que também vejo muito por aí: a semelhança física com o dono. Não é que o dono tenha focinho e orelhas pontiagudas, nada disso. Falo sobre a forma, diga-se, redonda tanto do dono quanto do animal. O bicho é um reflexo do dono. Se o Totó está gordo, é porque o dono também está. É muito provável que donos sedentários que comem demais tenham animais obesos.

Por falar nisso, a doença também afeta os bichos. A obesidade prejudica a saúde e a longevidade deles. O veterinário pode orientar melhor sobre a quantidade e a qualidade da alimentação. Além disso, hoje até existem veterinários nutricionistas, especializados mesmo, que oferecem uma consulta mais direcionada. Depois de ver uma dog stylist (personal stylist para cachorros) numa revista, não me surpreendo com mais com nada. Existe profissão para tudo hoje em dia. Mas um veterinário nutricionista – ou nutricionista veterinário? – é bem útil, né?

Se você continua dando ao animal alimentos que o veterinário proibiu, sinto dizer, você está matando lentamente o bichinho que tanto ama. Sei que é difícil resistir àquela carinha meiga e de coitadinho quando você está devorando um delicioso sorvete de chocolate, mas dar comida não é dar amor, gente. Dê amor ao animal e faça com que ele se sinta útil. Conheço muitos casos de velhinhas viúvas que só têm a companhia de seu animal de estimação. Quantos filmes existem contando casos de casais que se conheceram por meio dos cachorros? Procura-se um amor que goste de cachorros é um deles. Muitas vezes é o animal que proporciona um vínculo social, que faz o dono sair de casa e até se cuidar mais, para estar sempre bem e poder tratar dele. Por isso, ajudar um animal é ajudar tanto a ele quanto ao dono. Pense nisso!

Leitora voraz, beatlemaníaca e cinéfila. Coleciona guardanapos estampados, cartões-postais e canecas. Ama viagem no tempo, zumbis, cheiro de chuva, sorvete derretido e histórias de suspense. Tenta convencer todo mundo de que tem uma bagunça organizada em casa. E é a mais pura verdade!