Flores para um sono melhor

Sono é um assunto que me interessa. Prezo muito minhas noites de sono e me considero privilegiada por não ter problemas para dormir. Quando deito, logo pego no sono. Mas sei que nem todo mundo é assim. Muitas pessoas não conseguem dormir as tão recomendadas oito horas por dia.

Se esse é o seu caso, que tal uma alternativa natural e cheirosa para ajudá-lo a dormir melhor?

Se o seu sono é leve…

Jasmim

Ponha uma dessas variedades na mesinha de cabeceira e tenha um sono mais profundo: Jasminum polyanthum (trepadeira com flores minúsculas, conhecida por jasmim-dos-poetas) ou Jasminum sambac (mais arbustivo), o bogari, que dá flores perfumadas que lembram rosas.

Se o seu sono é estressado…

Alfazema

O aroma floral dessa planta desacelera o coração e baixa a pressão arterial. Num estudo, os cientistas borrifaram óleo de alfazema ou um placebo sem aroma nos lençóis de 12 mulheres insones e descobriram que as que usaram os lençóis perfumados dormiram melhor  e acordaram se sentindo renovadas.

Se o seu sono é agitado…

Gardênia

Essa flor de aroma doce acalma o sono inquieto. Os médicos que seguem o aiurveda – sistema de medicina tradicional indiana – chegam a receitá-la para controlar a raiva e a impaciência.

E você? Tem problemas para dormir? O que faz para amenizar o problema? Conte para a gente.

Torne o seu carro mais econômico

Toda vez que pego o carro tenho a preocupação de checar o medidor de combustível no painel para saber se ainda tem combustível suficiente para a distância que vou percorrer. Tenho pavor de que o combustível acabe enquanto eu estiver dirigindo. Coisa de principiante…

Mas, até para os mais experientes, existem algumas pequenas atitudes que podem ser tomadas para tornar o carro mais econômico e, assim, evitar o susto de ficar a pé, mesmo que você o tenha abastecido há pouco tempo.

Quer saber o que fazer? Então, vamos lá:

Dirija suavemente. Essa é a primeira e a mais importante. Acelerar e frear toda hora consumem combustível de forma desnecessária.

Verifique a calibragem dos pneus pelo menos uma vez por mês. Mesmo que os pneus estejam apenas meio vazios, o consumo de combustível aumenta.

Não encha a mala do carro. Retire os brinquedos, a caixa de ferramentas e tudo o que não precisa ficar lá. O peso extra consome combustível extra.

Faça menos percursos pequenos. Os carros consomem mais combustível quando estão rodando com o motor frio, por isso, se você vai sair com o carro, faça o máximo de tarefas que puder na mesma viagem.

Planeje o percurso. Não existe maior desperdício de combustível do que dirigir por aí procurando um lugar porque você não consultou um mapa antes de sair.

Use as marchas para desacelerar gradativamente, e os freios para parar completamente. Tente trocar as marchas com 2.000-2.500 rpm para o melhor aproveitamento possível do seu combustível.

Passe pelos obstáculos de redução de velocidade em velocidade constante, em vez de frear e acelerar bruscamente.

Use menos o ar-condicionado, pois ele queima muito combustível. Em velocidades baixas, é melhor manter a janela aberta. Mas não as abra quando estiver em alta velocidade, pois isso aumenta o arrasto do carro e o consumo de combustível.

Seu carro já morreu com você por falta de gasolina? Conte sua experiência para a gente!

Descubra como consumir frutas do jardim da sua casa

Sempre gostei de frutas. Quando criança, lembro-me de colher frutas no jardim da casa de minha avó no interior com minha prima. As frutinhas vermelhas eram as que mais me encantavam. As cores vivas chamavam-me a atenção, e eu ficava me perguntando como algo tão simples era capaz de possuir tanto sabor e beleza.

Hoje entendo que, além de saciar minha vontade infantil, aquelas pequenas árvores também tinham um papel importante na preservação do solo e da natureza, beneficiando não somente quem as cultivava, mas também o meio ambiente como um todo.

Pequenas árvores ou plantas produtoras de frutos silvestres embelezam o jardim e proporcionam uma colheita repleta de vitaminas, sem exigir muitos cuidados. Protegidas do vento, desenvolvem-se bem em locais de sol intenso a parcialmente sombreados.

Então, que tal se você e eu fizéssemos nosso próprio plantio? Veja como a seguir.

Um bom começo

Opte por solos profundos e com húmus, sem acúmulo de água.

  • Plante mudas praticamente sem raízes – preferencialmente no outono ou na primavera – para que as plantas desenvolvam suas próprias raízes.
  • Prepare uma cavidade em volta da base para que as plantas possam ser regadas.
  • Afofe bem a terra, para evitar acúmulo de água.
  • A cova não deve permitir que o caule fique enterrado e deve ter o dobro da largura do torrão com a raiz. Antes de depositar o arbusto previamente regado, acrescente um pouco de material de compostagem.
  • Encha a cova com terra e composto orgânico, pise a terra com cuidado e regue bem.
  • Deixe um espaço entre as plantas a fim de garantir seu desenvolvimento e, nos verões chuvosos, prevenir a formação do mofo cinzento gerado pelo acúmulo de folhas e o excesso de umidade.

Poda de arbustos

A maior parte dos arbustos sofre a poda em galhos de 1 ano. Uma boa colheita tem como precondição a poda correta, que fornece luz e ar ao arbusto. Os galhos danificados devem ser retirados, assim como os brotos acometidos por doenças, que ficam no chão. Veja a poda ideal para cada tipo de arbusto:

Framboeseira – deve ser podada depois da colheira até cerca de 5 cm sobre o solo.
Amoreira – corte os brotos secos no chão, deixando de seis a oito galhos robustos por safra.
Groselheira – deve ter em sua base no máximo cinco brotos fortes, para que desenvolvam bem novas plantas. Nessa variedade, os galhos antigos devem ser encurtados a um terço de seu tamanho original, e nenhum dos galhos deve ter mais de 6 anos.

O cuidado correto

Como a maior parte dos arbustos de frutos silvestres possui raízes superficiais, a terra deve ser cuidadosamente afofada, se necessário, para que as raízes não sejam danificadas.

  • Plante artemísia ao lado de uma groselheira. Isso pode ajudar a prevenir doenças e pragas como a ferrugem do pinheiro e pulgões.
  • Plante alho ou milefólio próximo aos arbustos a fim de ajudar a manter as plantas saudáveis.
  • Sob as framboeseiras, cultive calêndula e miosótis para prevenir pragas.
  • Use uma camada de grama seca, palha ou folhas a fim de evitar o aparecimento de ervas daninhas e manter a umidade igualmente distribuída pelo solo.

À época da colheita

  • Colha frutas silvestres em vasilhames pequenos para que não sejam amassadas pelo próprio peso. As cestas devem ser forradas com toalhas de papel.
  • Caso a colheita de groselha prometa ser farta, retire uma parte das frutas ainda verdes, podendo fazer uma compota. Assim, as outras frutas crescem mais e tornam-se mais saborosas.
  • A colheita pode ser mais bem protegida dos pássaros se você usar redes.

Salada refrescante

salada-refrescanteGosto muito da combinação de frutas e folhas. E, com o calor que anda fazendo neste verão, nada melhor que uma salada para refrescar e se manter saudável. Por isso, hoje escolhi um prato delicioso do nosso livro Saladas e Molhos da coleção Delícias em 30 Minutos para compartilhar com vocês. Além de rápida, esta salada é de dar água na boca.

Vamos à receita:

Tempo de preparo 25 minutos
Rende 4 porções

1 cabeça de radicchio pequena
250 g de uvas sem sementes
1 pera madura
250 g de queijo duro (p.ex., emental, gruyère ou queijo montanhês)
40 g de nozes em metades
2 colheres (sopa) de vinagre de vinho tinto
sal
pimenta-do-reino moída na hora
1 colher (chá) de mostarda de Dijon
1 colher (sopa) de xarope de maçã
4 colheres (sopa) de óleo de girassol
1/2 maço de cebolinha-francesa

1 Elimine as folhas mais externas, de aparência desagradável, do radicchio. Corte o talo e separe as folhas.
2 Lave e corte as folhas na diagonal, em tiras, e disponha-as em uma travessa grande, em uma saladeira ou em quatro pratos.
3 Lave as uvas, deixe escorrer, seque com papel-toalha e corte-as ao meio. Lave a pera e corte em quatro partes. Retire as sementes de cada parte e corte em fatias, no sentido do comprimento ou na diagonal.
4 Tire a casca do queijo e pique em cubos de aproximadamente 1 cm. Junte as uvas e as fatias de pera, os cubos de queijo e as nozes em metades com as tiras de radicchio, misturando levemente.
5 Para o molho, misture o vinagre com 2 a 3 pitadas de sal, um pouco de pimenta, a mostarda e o xarope de maçã. Adicione o óleo, batendo. Misture o molho com a salada.
6 Lave a cebolinha-francesa, sacuda para secar e corte em rolinhos. Salpique a salada com estes rolinhos e sirva imediatamente.

Para um preparo ainda mais rápido
Procure comprar o queijo duro já picado em cubos. Usando uvas maiores, você poupa tempo na hora de cortá-las ao meio.

Cada porção fornece
465 calorias
21 g de proteínas
17 g de carboidratos
35 g de gorduras
3 g de fibras

Dicas de substituição
Em vez de pera, pode ser utilizada 1 maçã. Caso você não tenha nozes à mão, avelãs (picadas grosseiramente) também servem muito bem. O tipo de queijo também pode ser trocado: quem prefere um queijo mais suave, pode preparar essa salada também com variedades de queijos para fatiar, como edamer ou gouda.

A importância das palavras para os bebês

poder-palavras-bebeEstou na reta final da minha primeira gravidez e qual não foi minha alegria ao reencontrar um artigo sobre a importância das palavras para o desenvolvimento cognitivo dos bebês que publicamos na revista um tempo atrás. O artigo trata sobre um programa nos Estados Unidos em que pessoas vão à casa de famílias de baixa renda a fim de lerem e conversarem com as crianças (Você pode conferir o artigo aqui). Hoje, prestes a me tornar mãe e pelo fato de trabalhar com livros e amar tanto as palavras, esse assunto me tocou profundamente. Por isso compartilho aqui no Blog algumas atitudes simples que podem nos ajudar a construir a inteligência dos nossos filhos. Querem ver?

1. Converse com o bebê enquanto cuida dele
Está trocando a fralda ou dando banho? Converse com seu filho! Conte a ele o que você está fazendo, como ele está crescendo, como se alimentou bem, ou que está na hora de ir dormir… enfim, participe seu filho do que está acontecendo ao redor dele por meio das palavras.

A abundância de palavras é essencial para o desenvolvimento do cérebro. Não somente por causa da questão da imitação – como muitas pessoas pensam –, mas sim por causa do despertamento da criatividade, da imaginação e da interação nas crianças.

2. Apresente a ele o maravilhoso mundo dos livros desde pequeno
Hoje as livrarias oferecem livros infantis para todas as faixas etárias, inclusive para bebês. São livros que podem ser mordidos, amassados e manuseados pelas mãos fofinhas e pequeninas do seu filho. Sendo assim, dê a ele a oportunidade de criar um laço afetivo com o objeto livro desde pequeno. Quando menos esperar, ele já entenderá o livro como um amigo, aliado e companheiro para a vida toda.

poder-palavras-bebe-23. Esta é fácil: conte-lhe histórias
Não precisam ser elaboradas, verdadeiras, nem muito extensas. Precisam apenas ser contadas. Além de ouvir e absorver o som e a pronúncia das palavras que saem da sua boca, o bebê vai absorver outros elementos, como a entonação, a emoção e o encanto que você está dando à narrativa. Além disso, ouvir histórias vai ajudá-lo a desenvolver a imaginação e a criatividade.

Estudos comprovam que o bebê começa a adquirir a língua-mãe (isto é, a língua do ambiente), desde o ventre. Assim, desde pequeno, ele adquire a língua com a qual tem contato (aliás, pode ser mais de uma), passando por várias fases até adquirir as mesmas habilidades de um falante adulto.

Porém, apesar de ser sabido hoje que todos nós temos, em condições normais*, a capacidade de adquirir a língua do ambiente em que estamos inseridos, é evidente que algumas crianças desenvolvem a linguagem e conseguem se expressar melhor que outras. Mas por que isso acontece? Melhor ainda, como fazer com que seu filho desenvolva a capacidade de se expressar bem? A resposta pode estar a seguir.

4. Menos tevê e internet e mais atenção aos pequeninos
O que leva o bebê a adquirir a língua, além da capacidade inerente ao ser humano – é a imersão dele nas palavras que são pronunciadas ao vivo e a cores e não nas que ecoam das telas de tevê, smartphones e tablets da vida. Por isso, não cometa o erro de deixar seu filho em frente à tevê vendo desenho o dia todo, nem lhe entregue um tablet para distraí-lo. A sua atenção é aquilo de que ele mais necessita para se desenvolver e ser uma criança feliz.

5. Por último, faça o seu melhor
Todo pai quer o melhor para os filhos, certo? Não é preciso ser expert em educação ou ter muito conhecimento para despertar nos filhos o fascínio pelo conhecimento – apenas um pouco de dedicação, menos preguiça e mais cuidado. Por isso, leia para seus filhos, cante musiquinhas, aponte os objetos e as pessoas em volta dele. E com certeza ele será eternamente grato a você.

Não faça promessas de ano-novo

ano-novoVocê já prometeu algo a si mesmo no fim do ano que não conseguiu cumprir no ano seguinte? Se sim, para 2017, quero lhe encorajar a não fazer promessas de ano-novo, mas sim a traçar metas.

Mas não é a mesma coisa?, você pode perguntar. Não, não é a mesma coisa. Veja por quê. Estudiosos de gestão do tempo dizem que para se alcançar um objetivo mais facilmente é preciso ser específico, determinando em que prazo será realizado e quais os recursos necessários.

Por isso, para que 2017 seja um ano de realizações, e não mais um ano só de “promessas”, pense no que você tem de fazer para que seus objetivos se cumpram e estipule um prazo para cada um deles. Por exemplo: se o objetivo é emagrecer, faça-se as seguintes perguntas:

– Quantos quilos quero ou preciso perder?

– Quais as medidas que tenho de tomar?

– Quando vou começar a trabalhar para que isso aconteça?

Respostas: Quero perder 5 quilos. Vou parar de tomar refrigerante a partir do dia 2 de janeiro. Vou ao nutricionista no dia 15 de janeiro. Vou me matricular na academia no início de fevereiro etc.

Além disso, reflita no que você conquistou esse ano. Lembrar as coisas boas nos ajuda a ter ânimo para ir em busca de novas conquistas. Eu, por exemplo, tenho um arquivo no meu e-mail no qual insiro há alguns anos as conquistas do ano anterior e os planos para o próximo ano. É muito bom olhar para trás e ver que a vida é, sim, muito boa e que, com fé e esforço, podemos alcançar nossos maiores sonhos.

Por falar em sonhos, outra dica é reunir pessoas queridas e pedir que cada um escreva seus sonhos num papel. Depois que todos tiverem feito isso, um pessoa recolhe “os sonhos” de todos e os guarda em uma caixa – com a garantia de não abri-los durante o ano e nem perdê-los, é claro! No fim do ano seguinte, todos se reúnem novamente para a abertura da caixa e compartilham os sonhos que tenham conseguido realizar.

Então, está disposto a encarar o desafio de parar de fazer promessas e começar a traçar metas? Eu já comecei a fazer as minhas. Anime-se! Temos até meia-noite de amanhã para terminá-las! :)

Que 2017 seja um ano de muitas realizações para todos nós! 

Como lidar com situações delicadas (especialmente no Natal)

Em muitas reuniões familiares, no Natal principalmente, deparamos com situações delicadas em que é preciso ceder e agir com a razão a fim de preservar as relações. Dar respostas francas – ou respostas francas demais –, fazer críticas ou convencer as pessoas de algo em que você acredita são algumas atitudes que, se não tomadas com uma boa dose de inteligência emocional, podem causar transtorno e mal-estar na noite de ceia.

Segundo a psicóloga Susan Heitler, na hora de emitir uma crítica, o ideal é “pular a reclamação e passar diretamente à explicação”. Susan explica que, em vez de dizer para um dos seus familiares “Não é assim que se faz o peru de Natal. Desse jeito ele vai ficar ressecado.”, é melhor dar conselhos como: “Minha avó me ensinou três dicas para deixar a carne mais macia e deliciosa…” Afinal, ninguém gosta de receber críticas e, fazer isso de forma indiscriminada, apenas leva o outro a ficar na defensiva, dificultando a possibilidade de um acordo.

Outro ponto é o comportamento durante as reuniões em família. Passar por gafes em festas de Natal e Ano-Novo (momento reconhecidamente tensos, em que ter a família toda reunida pode gerar “pequenos atritos e excesso de opinião”) é algo que nenhum de nós deseja. Para evitar que isso aconteça, aqui estão algumas dicas para evitar dores de cabeça:

  • Evite assuntos polêmicos – como aquele primo que perdeu o terceiro emprego no mesmo ano, a tia que está visivelmente mais cheinha ou o divórcio do irmão – é a melhor maneira de não colocar o próprio problema na lista de tópicos a serem discutidos. Se você não quer ser apontado, não aponte.
  • Disfarce a frustração de ter tirado ou ter sido tirado por um parente com quem não tem muito contato ou intimidade no amigo-oculto. Mantenha o sorriso mesmo se ganhar um presente do qual não gostou muito (não se esqueça de que meias são coisas muito úteis!)
  • As crianças não querem comer fios-de-ovos (fios-de-ovos sempre muito polêmicos), panetone (frutas cristalizadas, eu entendo…) e tender? Não entre em pânico nem deixe que elas entrem. Se você é o anfitrião, prepare de antemão um cardápio mais atrativo para elas. Se estiver visitando parentes ou amigos, certifique-se de levar consigo algo que seu filho possa comer na hora da ceia.
  • Mantenha-se ocupado. Essa é a melhor maneira de fugir de conversas e pessoas desagradáveis. Mesmo que não seja o anfitrião, você pode se oferecer para repor os salgadinhos na mesa, o gelo das bebidas, guardar as bolsas dos convidados que chegam ou até mesmo distrair e acalmar as crianças para evitar a bagunça. Ser prestativo, além de ser uma qualidade e tanto, vai garantir seu sossego durante a festa.

Se no fim nada der certo, lembre-se: as festas de fim de ano são o melhor período para exercitar o perdão. ;)

Especial devocional: como superar as perdas

devocional-superar-perdasA morte de alguém que conhecemos – próximo ou não – sempre nos faz refletir sobre a vida. A Bíblia diz no livro de Eclesiastes que “melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque naquela está o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração.”

A perda do meu avô no último mês de julho foi inesperada e rápida – como um soco no estômago. A repentina falta da sua presença e a consciência da sua ausência vieram à tona no horário do almoço de uma sexta-feira. A vida tem destas coisas: levar pessoas de repente e deixar a saudade no lugar delas. Tive pouco contato com meu avô materno, mas seu sorriso e alegria de viver o faziam especial.

No dia em que se faz menção aos mortos, deixo uma reflexão de nosso livro Promessas para uma vida plena: 52 semanas com Deus que mostra como a confiança em Deus em um momento de perda pode trazer consolo ao nosso coração e esperança de um futuro feliz outra vez:

Mudou o Senhor a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e o Senhor deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra. (Jó 42.10)

A perda deixa um vazio. Pode ser a perda de alguém querido que não está mais ao nosso lado ou de algo que possuíamos, material ou imaterial, como determinada casa, um emprego ou até mesmo a saúde.

Jó perdeu os filhos, os amigos em quem confiava, o apoio e o respeito da esposa, os bens e a própria saúde. No entanto, ele manteve a fé. Apesar do desespero, Jó confiou no Senhor. Depois de algum tempo – que para Jó deve ter parecido sem fim –, Deus mudou sua sorte. Bem no momento em que orava por seus amigos, o vazio em sua vida causado pelas perdas começou a ser preenchido – e se multiplicou! O texto bíblico afirma que tudo que Jó possuía antes lhe foi dado em dobro (Jó 42.10).

E depois de passar por tudo, Jó concluiu que antes conhecia o Criador só de ouvir falar, mas depois daquela experiência o conheceu face a face (Jó 42.5).

O Senhor pode fazer o mesmo por você. Mesmo diante das perdas, Ele pode preencher o vazio do seu coração. O seu papel é perseverar e interceder pelo próximo, assim como Jó, crendo que Deus vê a sua dor e se compadece dela.

Oração

Espírito Santo, preenche o vazio que sinto diante das perdas e me ajuda a superar a dor que elas deixaram. Rogo-te também por amigos e familiares que estão passando por momentos difíceis, crendo que o Senhor está olhando por nós. Sei que em Ti eu posso confiar. Em nome de Jesus, amém!

Desafio do dia

Liste algumas pessoas que Deus colocou na sua vida – o seu próximo – e interceda por elas. Peça ao Senhor que as abençoe e creia que Deus estará, ao mesmo tempo, cuidando de você.

(Semana 50 do livro Promessas para uma vida plena: 52 semanas com Deus)

devocional-superar-perdasEste conteúdo faz parte da Caixa Devocional Promessas para uma vida plena: 52 semanas com Deus, um produto voltado para o momento conhecido como devocional – um tempo dedicado ao relacionamento com Deus por meio da leitura da Bíblia e da oração. A caixa contém um livro com 52 devocionais (um para cada semana do ano!) que trazem uma oração e um desafio da semana ao final. As reflexões tratam de temas cristãos universais como Fé, Perdão, Graça e Salvação. Além do livro, a caixa ainda conta com 20 lindos marcadores de livro, 20 adesivos e outras duas caixinhas: a primeira traz 366 versículos com promessas de Deus para cada um de nós e a segunda, 366 atividades para fazer bem ao próximo. Uma para cada dia do ano!

Como montar um escritório em casa e consumir menos energia

escritorio-energiaTrabalhar em casa pode ser uma ótima opção para quem sabe organizar a própria rotina e se cansou daquela “vida de escritório”. Você não só tem mais tempo para si como também contribui para a preservação do meio ambiente.

Do ponto de vista sustentável, pessoas que trabalham em casa ajudam a reduzir o tráfego, economizam combustível e, consequentemente, diminuem a poluição do ar. Mas é preciso estar atento, pois mesmo uma estrutura pequena pode consumir bastante energia e ser fonte de desperdício e poluição. A seguir veja algumas práticas que você pode adotar para preservar sua saúde, seus recursos e o meio ambiente ao trabalhar em casa.

Cuidados com o escritório

● Diminua a desordem, para aspirar, limpar e encontrar documentos e objetos mais facilmente.
● Assegure-se de que o escritório esteja bem ventilado, pois os equipamentos eletrônicos são uma fonte importante de calor e gases nocivos.
● Evite móveis de escritório feitos de madeira aglomerada, que pode conter compostos orgânicos voláteis (COVs). Prefira madeira maciça.
● Considere a compra de móveis de segunda mão, para reaproveitar materiais, economizar dinheiro e reduzir a emissão de gases.
● Aproveite ao máximo a luz natural. Seu monitor poderá precisar de protetor de tela para reduzir o reflexo, mas tente manter a mesa perto da janela para ler sob a luz natural.
● Na iluminação artificial, use lâmpadas fluorescentes compactas (LFCs), mais eficientes.

Escolha dos equipamentos

● Escolha produtos econômicos, de preferência com alguma certificação de consumo eficiente de energia.
● Opte por um computador que possa receber upgrades com facilidade.
● Avalie a conveniência de um laptop. Ele pode consumir até 90% menos energia que um computador de mesa, e pode ser usado com monitor, teclado e mouse convencionais.
● Para economizar energia, prefira periféricos, como drives de CD, no computador, em vez de comprar unidades independentes. Ou compre unidades independentes alimentadas pelo próprio computador.
● Avalie aparelhos multifuncionais, que reúnem num só impressora, fax e scanner e que podem economizar energia.
● Ao escolher uma impressora, lembre-se de considerar a capacidade de impressão e o preço dos cartuchos de tinta.
● Se precisar de um aparelho de fax, escolha um compatível com papel comum, para utilizar os dois lados, e procure modelos que escaneiam os dois lados, para poupar energia. Ou então adquira um software de fax. Se tiver scanner, use-o para enviar documentos por e-mail.

Como economizar energia

● Use os recursos de economia de energia de seus equipamentos.
● Escolha o menor período de inatividade possível para seu computador entrar em modo de repouso.
● Desligue os aparelhos da tomada quando não estiverem em uso.
● Evite os protetores de tela do computador. Eles são desnecessários em monitores de cristal líquido e não reduzem o consumo de energia. Recorra ao modo de repouso ou desligue a máquina.
● Se o computador não dispõe de recursos de economia de energia, desligue o monitor quando estiver fora de uso; ele é responsável por 80% do consumo.
● Ao imprimir, escolha a opção “rascunho”, para economizar tinta.

O que fazer com o lixo eletrônico

● Tente reaproveitar periféricos e outros componentes, e reciclar computadores antigos.
● Doe aparelhos antigos a organizações sem fins lucrativos ou a amigos.
● Recicle ou recarregue os cartuchos da impressora. Existem empresas que recarregam cartuchos, mas confira se a recarga não danificará a impressora ou invalidará a garantia.

Mente saudável: como ter mais energia e viver melhor

mente-saudavelVocê já se perguntou por que as pessoas que fazem mais atividades têm mais energia, mais interesses, um círculo de amigos e conhecidos maior e uma atitude geral mais positiva em relação à vida? Embora fazer muitas atividades talvez não seja prudente do ponto de vista físico, isso pode trazer benefícios mentais, pois pessoas muito ativas em geral estão abertas a novas ideias, tem mais facilidade em seus relacionamentos e são menos resistentes a mudanças. Veja a seguir quatro dicas para melhorar sua saúde mental:

Faça uma pausa
Uma pausa na rotina normal favorece a sensação de bem-estar, e, se for possível associar esse intervalo a um belo cenário, boa comida, cultura, mar, sol ou neve, tanto melhor. As viagens ampliam a mente, mas, mesmo sem essa opção, é importante interromper um pouco a jornada diária e a rotina da semana de trabalho normal.
Os benefícios mentais – e físicos – do descanso são recompensadores.

Esteja aberto a mudanças
O problema de muitas pessoas é a facilidade para criar hábitos não muito benéficos à saúde mental e até mesmo prejudiciais. Resistir às mudanças ou simplesmente se desinteressar leva ao desperdício de oportunidades de melhoria da vida. Se você sente que suas habilidades mentais estão estagnando, experimente algumas das opções a seguir:

• Faça algum programa cultural que nunca experimentou, como ir à ópera, ao balé, a uma exposição de artes ou mesmo a um show de rock. Mantenha a mente aberta: se não gostar, não precisa ir de novo, mas talvez você se divirta.

• Pratique um esporte novo ou que tenha abandonado na adolescência. Clubes e academias costumam oferecer aulas experimentais.

• Aproveite as férias para uma atividade diferente: caminhada, cavalgada, pintura, navegação, alimentação gourmet, ioga.

• Assista a uma competição ao vivo, de preferência de um esporte que você nunca tenha praticado ou que não pratica há anos. É ainda melhor se for ao ar livre.

• Você tem alguma habilidade que poderia ensinar a crianças? Algumas escolas acolhem voluntários que possam atuar como treinadores, ensinar xadrez, ajudar as crianças a cuidar do jardim e cozinhar etc. Esses voluntários obtêm benefícios mentais significativos por estarem cercados de jovens e compartilharem ideias.

• Junte-se a um círculo de leitura ou crie um. Esse é um grupo informal de pessoas que se reúnem com frequência para discutir o que leram. Encoraja a leitura, cria um foco e melhora habilidades fundamentais que talvez já estejam se perdendo.

• Aprenda uma língua ou uma nova habilidade, talvez algo que você sempre quis fazer, mas para o que nunca teve tempo.

Relacione-se
Não existe nada mais edificante do que um bom relacionamento, mas o estresse, a frustração ou o ressentimento podem acarretar depressão e ansiedade. Os relacionamentos não são estáticos e há quem considere as mudanças estressantes. As relações não se fazem sozinhas, é preciso que as pessoas contribuam. Também é importante que os pais não negligenciem o seu relacionamento por causa das demandas familiares. Momentos revigorantes passados juntos fortalecem a relação.

Arrisque-se
A maioria das pessoas se arrepende mais do que não fez. Não é raro acreditarem ser tarde demais para alcançar algum objetivo, mas isso não costuma ser verdade. Embora as mudanças de vida possam ser difíceis, com frequência tudo dá certo. Mudar de carreira, voltar a estudar, terminar um relacionamento, mudar de casa e viajar são decisões que não devem ser tomadas sem pensar, mas conversar com amigos e parentes sobre as escolhas que eles fizeram pode ajudar você a tomar a decisão certa.

Saúde

Veja também