Cinco hábitos que ajudam a diminuir a ansiedade

Cada vez mais comum, estima-se que mais de 18 milhões de brasileiros convivam com a ansiedade atualmente, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Embora algumas pessoas sofram com uma ansiedade patológica que faz necessário acompanhamento médico, para casos mais leves algumas práticas cotidianas podem ajudar.

  • Tenha seu horário de sono como uma prioridade. Na correria diária é comum deixarmos de lado uma boa noite de sono, mas não adianta: sem o devido descanso, o corpo e a mente não funcionam com todo seu potencial, ficamos mais lentos e mais propensos a episódios de nervosismo.
  • Muitas vezes a angústia cotidiana é causada pelo acúmulo de tarefas e a sensação de falta de tempo, mas será que você realmente precisa de um dia com 30 horas para realizar tudo? Alguns métodos simples de organização como listas de tarefas, agendas semanais, os novos bullet journals e a técnica Pomodoro podem ser grandes aliados para tirar o peso das obrigações da mente.
  • Exercícios simples de respiração como inspirar profundamente e segurar o ar por 10 segundos antes de expirar podem ajudar a controlar o nervosismo antes de ter uma conversa séria ou fazer uma apresentação no trabalho, por exemplo. Já a prática regular de meditação promove tranquilidade e equilíbrio duradouros.
  • O hábito de praticar exercícios físicos não só é importante para a saúde cardiovascular, mas também libera endorfinas, o “hormônio do prazer”, que promovem relaxamento e sensação de bem-estar.
  • Lembre-se de seus limites. Por mais que gostaríamos sempre de “dar conta de tudo”, nem sempre isso é possível. Pedir ajuda ou admitir que não consegue fazer algo não é motivo para vergonha, você não é um robô. Além disso, é importante lembrar que nem tudo depende só de nós para ser feito, é preciso aprender a lidar com frustrações e saber não é possível ter controle de tudo ao nosso redor.

Nervous woman biting fingernails craving or anxious

Apaixonada por literatura latino-americana, sempre teve certeza que o paraíso seria uma espécie de biblioteca e foi cursar Produção Editorial na UFRJ para aprender a fazer esses objetos mágicos. Também gosta de domingos com céu claro, gatos e futebol.