Combata o estresse

Todos nós passamos por situações de estresse: seja por causa de problemas pessoais, estresse no trabalho ou questões financeiras, o estresse se tornou “o mal do século” da nossa sociedade.

O estresse por longos períodos aumenta os níveis de cortisol e pode deixar alguns hormônios “altos” por dias, semanas, meses (ou anos!) a fio. O resultado? Pesquisadores estão descobrindo que esse tipo de estresse pode elevar os níveis de açúcar no sangue, a gordura na região abdominal e até o risco de determinados tipos de câncer.

Quais são os sintomas de estresse mais comuns?

Há uns meses atrás passei por um período intenso de estresse. Dores no peito, respiração suspirosa e irritabilidade eram alguns dos sintomas. Graças a Deus, passou! :)

Mas há outros sintomas bastante comuns como: dores de cabeça de tensão, noites sem dormir e má digestão. Se você tem tido alguns desses sintomas com frequência, é hora de avaliar o que o está incomodando.

Então como combater o estresse?

Não vou dar recomendações do tipo tomar um banho de espuma ou beber uma xícara de chá quente. Essas são ótimas opções, mas o ideal é chegar à raiz do problema. Então como começar?

o estresse

Admita para si mesmo o que o está estressando. Procure reconhecer o problema, assim vai ser possível começar a lidar com ele, em vez de se deixar consumir.  Ao identificar o que realmente o está estressando, escreva em um papel, deixando um espaço ao lado de cada tópico para anotar se é algo que você não pode mudar e que precisa aceitar (como a proximidade de uma comemoração importante) ou se é algo sobre o qual você pode ter algum controle.

Se for esse o caso, dê a si mesmo algum tempo para pensar. Depois, faça uma lista de alguns passos concretos que você pode empreender para começar a lidar com ele. Conseguir um avanço ainda que pequeno pode fazer com que você se sinta muito melhor, dando-lhe finalmente um sentimento de controle da situação.

Peça ajuda no que precisar. É da natureza humana: as pessoas têm medo de pedir ajuda. Ou elas partem do princípio de que não há opção, quando frequentemente há recursos disponíveis. Planejamentos financeiros, terapia, aconselhamento, o médico ou um conselheiro de confiança da sua igreja ou instituição religiosa são bons recursos que poderão ajudá-lo com problemas específicos.

Além disso amigos, parentes, vizinhos, ou mesmo conhecidos, estão geralmente dispostos a ajudar com pequenas tarefas se você tiver a coragem de pedir ajuda. Talvez eles estejam precisando da sua ajuda também.

Construa ou reconstrua um círculo de amizades. Perda é um tema recorrente de motivos de estresse. O conselho? Reconstrua uma rede de conexões de atenção e cuidados por meio da sua igreja, grupos comunitários e trabalho voluntário (o que em si já faz com que você se sinta bem). Não dependa de um pequeno e seleto círculo de amigos – agora é a hora de cultivar novas amizades.

Ter amigos por perto altera a bioquímica do cérebro – trazendo os sentimentos de alegria e bem-estar.

Aprenda a relaxar e pratique. A maioria de nós não tem muita consciência corporal. Se nossos músculos estão tensos e a respiração está mais rápida e mais superficial do que deveria estar, nós não percebemos, o que dirá relacionar isso ao estresse.

Uma boa solução é encontrar uma técnica de relaxamento de que você goste e usá-la todos os dias, independentemente de como se sinta naquele dia. Você pode tentar a meditação, a ioga e exercícios respiratórios (inspire lentamente contando até 4, dê uma pausa contando até 2, expire contando até 8, dê uma pausa contando até 2 e inspire novamente).

Quer saber mais? Veja outras dicas aqui.

E você? Já passou por momentos de estresse? O que fez para superá-los? Conte para a gente!

Raphani Margiotta

Apaixonada por livros desde a infância, descobriu que poderia inspirar pessoas por meio das palavras. Dia após dia, vive em busca de conhecimento e procura olhar para o céu como uma lembrança das infinitas possibilidades de ser feliz.