6 dicas para criar filhos solidários

solidariedade

Saber se colocar no lugar do outro, identificar-se com os seus sentimentos e oferecer apoio e auxílio… essas são habilidades que caracterizam indivíduo solidário. Quem gostaria de vê-las refletidas nas atitudes dos filhos levante a mão! \o/ \o/ \o/ \o/ \o/

É claro que todos nós queremos que nossos filhos sejam solidários e que contribuam para um mundo melhor por meio dessa empatia com o outro. Mas como ajudá-los nesse aprendizado?

Não existe uma fórmula, um passo a passo para seguirmos, mas algumas observações podem ser úteis:

1. A mais óbvia e importante: seja você também solidário. O exemplo é o melhor mestre.

2. Comece cedo. Sempre que for fazer aquela arrumação no quarto ou no armário, separando brinquedos e roupas que já não servem ou não são usados, deixe que a criança o ajude, explicando que aqueles objetos e roupas servirão para outra criança. Esse é um bom momento de lembrar por que é preciso ter cuidado com os brinquedos e conservá-los em bom estado, para que eles possam ser passados adiante.

3. Envolva a família inteira. Quando houver uma campanha de donativos (por exemplo: campanhas de agasalhos no inverno ou de emergência numa enchente), é importante que todos os membros da família participem – desde a escolha do que doar até ir aos pontos de entrega das doações. Se doarem para uma instituição específica (um orfanato, por exemplo), leve seu filho até lá.

4. Deixe as crianças participarem de todos os momentos familiares. Nós pais queremos instintivamente proteger nossos filhos de situações desagradáveis e de problemas. Mas pesquisas mostram que as crianças que conhecem os sucessos e fracassos da família são mais resistentes e mais capazes de lidar com o estresse. Se você foi demitido e está triste com isso, por exemplo, explique o que aconteceu e como está se sentindo. É importante que elas tenham a oportunidade de oferecer o seu apoio.

5. Estimule-as. Sempre que as crianças demonstrarem voluntariamente preocupação com o outro e a intenção de ajudar, não as tolha. Permita que ponham em prática seu gesto de ajuda, por menor que seja. Um abraço ou a mão estendida podem valer tanto quanto o auxílio material.

6. Defenda os injustiçados. Muitas vezes nossos filhos serão vítimas ou testemunhas de pequenas injustiças: a professora que chama a atenção do aluno errado, um amiguinho que acusa o outro indevidamente etc. Mostre a seu filho que ele pode e deve ser imparcial e sair em defesa do outro.

Aproveitar todas as ocasiões para ajudar o próximo é o melhor caminho para a formação de futuros cidadãos solidários.

 

Sonha em descobrir uma fórmula para dilatar as horas do dia e poder fazer mais, muito mais de tudo que ama: trabalhar, curtir os filhos, a família, os amigos e os bichos, preparar gulodices, ler, cuidar da saúde, propagar tudo isso e assim, quem sabe, tornar o mundo melhor.